Lançamento oficial do Instituto Jackson Lago

Publicado em 20/03/2012 por ricardosantos

Ex-governador Jackson Lago, ao lado da sua esposa Clay Lago

Convite:

Tendo em vista a relevância de Jackson Lago para a história política do Maranhão e do Brasil, o Instituto Jackson Lago comunica e convida os amigos, amigas, colaboradores e simpatizantes do governador para seu lançamento oficial, a ser realizado dia 4 de abril de 2012, quarta-feira, às 19h, no Auditório da OAB-MA, com a seguinte programação:

1. Posse da Diretoria e Coordenadores do Instituto;

2. Apresentação “Jackson Lago – Fios da História”

3. Lançamento do edital de concurso público para escolha da marca do Instituto;

4. “Diálogos Jackson Lago”, 1ª edição, inaugurando as atividades do Instituto, com palestra do historiador Marco Antonio Villa, pesquisador, professor da UFSCar, articulista e comentarista em jornais e TV.

Atenciosamente,

Clay Lago

Presidente do Instituto Jackson Lago

http://www.jornalpequeno.com.br/blog/ricardosantos/?p=16244

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

“O MAL DE TODO SABIDO É ACHAR QUE OS OUTROS SÃO TOLOS.”

Como se observa nos jornais locais, os interventores do PDT do Maranhão são malacos na arte de sofismar. No artigo publicado na página 2 do Estado do Maranhão, edição de hoje, o interventor presidente declara “nós vamos sair pra poder negociar. Secretário que é pretenso não pode ficar aí, porque, senão, parece que já estamos de decisão tomada. E não estamos. Pode ser que o PDT ainda venha a apoiar o prefeito João Castelo, mas dessa vez será o partido, não algumas pessoas”. Ora, o prazo legal para quem deseja ser candidato nas eleições desse ano, expira-se seis meses antes das eleições de 7 de outubro próximo. Desta forma para não se tornar inelegível, os secretários, presidentes de fundações e empresas públicas do governo Castelo, devem deixar o cargo até o dia 6 de abril, coincidentemente Sexta Feira da Paixão. Pasmem os senhores! Como exclamava o ex Dep. Rubem Brito da tribuna da Assembléia Legislativa ao iniciar seus discursos. Diante de tamanhas artimanhas o Jornal Pequeno de ontem cantava a bola, do que hoje os interventores do PDT do Maranhão declaram no oficioso do sarneisismo, já farejando o “enxofre da catinga da oligarquia Sarney”.

A seguir links dos jornais supra citados

.http://www.jornalpequeno.com.br/2012/3/14/a-genetica-e-a-catinga-190435.htm

http://imirante.globo.com/oestadoma/online/15032012/

 

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Blog do Caju

 

 

 

http://www.jornalpequeno.com.br/blog/caju/?p=5126

 

 

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Opinião Trabalhista

Esbulho

Após quase um mês do esbulho que provocou um estado de incredulidade nas companheiras e companheiros de nosso Partido, o PDT vive momentos de muitas incertezas e insegurança. Afinal, o Partido maranhense foi vítima de um “canetaço” do atual presidente nacional, Sr. Carlos Lupi, e do secretário nacional, Sr. Manoel Dias, que não tiveram a mínima postura recomendada a um dirigente nacional de um partido que se diz democrático. Muitos nos perguntam a razão para tal fatídica decisão. Se havíamos reorganizado o Partido, de forma coletiva, ou seja, com a participação de todos, inclusive dos nossos adversários (os atuais oportunistas de plantão), conseguido um resultado invejável de estar presente em 211 dos nossos 217 municípios, de realizar filiações importantes e com potencial eleitoral futuro, de devolver a auto-estima e semear a esperança em nossa(o)s companheira(o)s? Não há como negar que tudo isto não passa de uma retaliação por nosso comportamento durante a crise que atingiu em cheio o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), alguns de seus assessores e o próprio ministro, que acabou sendo demitido no dia 04/12/2011. Desde que assumiu o MTE, o PDT tem sido atrelado a esse órgão com a nomeação de pedetistas, a exemplo de nosso estado, assim como a realização de inúmeros convênios com entidades, secretarias estaduais e municipais e ONGs, muitos dos quais estão sendo objeto de investigação e confirmação de irregularidades conforme recente relatório da Controladoria Geral da União. Algo muito diferente do comportamento do ex-governador Brizola, que sempre soube distinguir e separar o papel de um dirigente partidário de um dirigente executivo! Como não são líderes de representatividade política maior, aqueles senhores baseiam-se no controle cartorial do partido. Vão nomeando Comissões Provisórias pelo Brasil afora, com seus vassalos à frente do partido para que façam tudo dentro “dos conformes e da confiança”. E, assim, vão fazendo o PDT transfigurar-se, a cada dia, num partido de negócios e distante de suas origens e propósitos. É a iconoclastia, ou seja, a destruição das verdadeiras tradições de nosso partido, cujos princípios e ideais estão enraizados na luta pela democracia, liberdade e justiça social. O PDT, goste-se de mais ou de menos, sempre pautou-se pela correção cívica de seus líderes. O Brizola foi um dos brasileiros mais investigados e perseguidos desse país, antes, durante e após a Ditadura Militar. Nunca encontraram nada que o desabone. E tinha o maior adversário que um político brasileiro possa ter: o império das comunicações Rede Globo. 
Que posso dizer à(ao)s nossas companheira(o)s neste exato momento? Que sigam em frente, continuem com os seus trabalhos e, de cabeça erguida, enfrentem esta situação e não desistam de seus projetos municipais. Estamos tomando as nossas providências com o recurso a ser entregue à Executiva Nacional para que essa absurda situação seja revertida, que se prorrogue a Comissão Provisória que priorizava o trabalho coletivo e que se convoque a Convenção. Igualmente estamos vigilantes quanto aos atos partidários dessa atual Comissão Provisória e denunciaremos qualquer alteração do que foi feito até aqui. Os atuais dirigentes nomeados pelo “canetaço” da hipocrisia não tem legitimidade, estão aí a exercer um papel triste na história de nosso Partido. Vamos aguardar até onde irão com falsas homenagens ao nosso líder Jackson Lago. E, como sabem, por uma questão de honra, também estamos vigilantes quanto aos últimos atos de dirigente partidário feitos pelo nosso ex-governador Jackson Lago. Caxias é algo simbólico para todos nós. Trata-se de seguir sua orientação de deixar que o partido fique nas mãos daqueles que não lhe deram às costas no momento em que mais precisava. Todos sabem que o atual prefeito caxiense está no PDT por conveniência, não apoiou nenhum de nossos candidatos e tem o pé direito no sarneyísmo e o pé esquerdo no reinaldismo. Cabe relembrar que, na reorganização de nosso partido, procuramos seguir uma linha de não expulsar nenhum destes que tiveram indigno comportamento, mas tivemos condescendência ao entregar os destinos de nosso Partido a quem melhor assumiu e cumpriu com os compromissos e deveres partidários, ou seja, àqueles que não dobraram suas espinhas dorsais ao poder econômico e à traição. Sei que os atuais nomeados pelo “canetaço” esforçam-se a exercer um papel de “gestores” e falam de “unidade”, numa tremenda homenagem ao cinismo. Logo eles que provocaram a dissensão, perjuram aos quatro cantos a respeito de nosso papel à frente dos trabalhos de reorganização partidária e confundem a relação com os outros partidos com adesão e atendimento de seus interesses pessoais de mandato. 
Igor Lago
Membro do Diretório Nacional do PDT
11/03/2012.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Igor Lago diz que PDT não está representado na Prefeitura de SLZ

 por 

Igor, observado por Clay Lago durante a coletiva (Foto: De Jesus/O Estado)

O ex-presidente da Comissão Provisória Estadual do PDT, Igor Lago, declarou, nesta quarta-feira (7), que o PDT não se pode considerar representado na administração João Castelo (PSDB).

Ele usou o argumento de que as nomeações de pedetistas para secretarias municipais são compromissos pessoais para defender que o partido deve lançar candidatura própria em São Luís nas eleições deste ano.

“Nós não estamos representados na administração João Castelo. O que há são participações individuais, como o próprio prefeito já frisou em algumas oportunidades. O prórprio Clodomir Paz, quando convidado pelo prefeito, fez questão de dizer que estava atendendo a um convite pessoal. Então, ele não foi nomeado secretário municipal representando o partido”, declarou.

Para Lago, o PDT precisa ter candidato para pode homenagear o ex-governador Jackson Lago.

“Nós não aceitamos que um partido como o PDT não tenha a oportunidade de homenagear o seu maior líder, o ex-governador Jackson Lago. E a melhor forma de homenagear o seu maior líder é apresentar uma candidatura própria”, disse.

O ex-presidente só não disse se a ex-vice prefeita de São Luís, Sandra Torres, concorda com esse posicionamento, já que ela faz parte do auto-denominado Comitê de Resistência Democrática “Jackson Lago”, defende candidatura própria em outubro, mas permanece na chefia da Coordenadoria da Mulher na Prefeitura de São Luís.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

COMITÊ DE RESISTÊNCIA DEMOCRÁTICA-PDT “CRD JACKSON LAGO” CONVITE

 

Em nome do CRD JACKSON LAGO, temos o prazer de convidar todos os companheiros identificados com causa da DEMOCRACIA PATIDÁRIA, para um ENCONTRO DE PLANEJAMENTO DA AÇÃO POLÍTICA PARTIDÁRIA DE 2012, com IGOR LAGO e outras lideranças trabalhistas. Seguido de uma ENTREVISTA COLETIVA, concedida pelo mesmo à imprensa maranhense.
Data: 07 de março de 2012(quarta feira)
ENCONTRO DE PLANEJAMENTO:
Hora: das 14:30h às 17:00hs
ENTREVISTA COLETIVA
Hora: das 17:00h às 18:00hs
Local: HOTEL SKINA PALACE
AV. Castelo Branco, São Francisco. (em frente à Praça da Igreja do São Francisco)
Venha debater com Igor e Clay Lago e demais militantes da causa da DEMOCRACIA.

1- A resistência à intervenção imposta ao PDT pelo Presidente Nacional do PDT, ex Ministro do Trabalho Carlos Lupi;
2- A prorrogação dos prazos já vencidos ou a vencer, dos mandatos das Comissõe Provisórias Municipais, inclusive da Comissão Provisória de Sâo Luís;
3- A marcação das datas de realização das CONVENÇÕES MUNICIPAIS e da CONVENÇÃO ESTADUAL;
4- A tese da candidatura própria ao cargo de prefeito de São Luís e no máximo de municípios onde for possível.

Sua participação é fundamental na reconquista da democracia partidária, abrindo imensas possibilidades de refundação do PDT.

São Luís, 02-03-12
Saudações Democráticas.
Clay Lago, Leo Costa e Moacir Feitosa
Coordenadores.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

PENSANDO 2012

 

 
por Abdelaziz Aboud Santos

As eleições de 2012, além de seu valor intrínseco, constituem-se em importante prévia para o pleito de 2014, razão pela qual todos os partidos que aspiram influir nos destinos do Maranhão estão mobilizando suas forças para participar do certame, com especial atenção para a capital maranhense.

 

Por onde deve caminhar o PDT nas eleições de São Luís? Apoiar o PSDB, como fez em 2008, no segundo turno e, neste caso, emprestar-lhe o vice, como querem uns poucos companheiros? Coligar-se com um bom número de partidos do campo progressista, aí, também, contentando-se com uma candidatura a vice? Ou lançar candidatura própria para recuperar o legado histórico do Partido, como entende o seio maduro da agremiação?

Vamos examinar cada uma das alternativas de per si: a primeira delas, coligar-se com o PSDB na provável candidatura à reeleição do Prefeito João Castelo, oferecendo-lhe o candidato a vice (se isso for do desejo do senhor Prefeito) a quem isto interessaria? Não falta ao PDT experiência de vice-prefeitura, daí que os eventuais benefícios dessa alternativa podem ser bem avaliados pelo conjunto dos companheiros.

Além disso, ao convidar filiados do PDT para compor o seu governo, o Prefeito tem deixado claro que o convite não se estende à Instituição, mas se limita ao convidado, razão pela qual, até onde percebo, o Partido não se sente partícipe da sua administração. Nem vamos aqui colocar lenha na fogueira ao registrar os descuidos de linguagem de S. Exa. ao afirmar em discursos repetidos que São Luís não tinha prefeitos desde o tempo de dona Gardênia.

Não difere muito da primeira a segunda opção, qual seja a de coligarmos com outros partidos do campo progressista, também aí oferecendo o vice (se quiserem). Neste caso, careceria conhecermos o titular da chapa, posto que há nomes que não merecem exame da parte do Partido. Claro que a (im) provável candidatura de Flávio Dino, atual campeão das pesquisas, obrigaria todos a repensarem suas posições. Parece-me, contudo, que Dino guarda suas intenções de voto numa grande gaveta para deles “usufruir” mais tarde. É natural que a morte prematura do seu filho – que todos lamentamos – exerça influência imponderável na sua decisão.

A candidatura própria, última alternativa a ser analisada, tem ganho a simpatia de muitos, senão da maioria dos companheiros, por alguns motivos: o PDT continua sendo o maior e mais organizado partido de esquerda do Maranhão e de São Luís; é depositário do legado de ter assumido quatro vezes a Prefeitura de São Luís, com administrações exitosas, inclusive, no caso do companheiro Jackson Lago, considerado três vezes o melhor prefeito de capitais do Brasil; reúne equipe com larga experiência de administração pública e conhecedora dos complexos problemas do município; dispõe de quadros de estatura política e moral para a disputa, entre eles, mas a eles não se restringindo, dra. Clay Lago, dr. Igor Lago, dr. Clodomir Paz, Prof. Moacir Feitosa, dra. Sandra Torres e o ex-ministro Edson Vidigal, este, aliás, testado recentemente em duas eleições majoritárias (governador e senador) com ótimo desempenho; o fato, já assinalado, de que a maioria dos militantes e de muitas das principais lideranças do Partido se inclinarem por esta opção.

Em qualquer dos casos, é absolutamente necessário, imprescindível mesmo, que o Partido busque eleger uma grande bancada de vereadores, que possa fiscalizar com correção e ética os atos do Prefeito eleito, além de propor projetos com o selo de nossa tradição histórica. Aqui, então, temos bons nomes com experiência parlamentar e dezenas de outros com razoável desempenho eleitoral.

O ano político de 2012 começou cedo, com movimentações tanto na seara da oposição como nos campos situacionistas. Como o PDT, diversos partidos vivenciam divergências internas que precisam ser superadas se quiserem influir no pleito municipal, falando uma linguagem única, ao invés de uma ou outra ala apenas comprometer-se com as táticas e estratégias para o próximo pleito.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário